Tag Archives: bonito isso

Sem alfinete, sem soutache, sem Icléia.

19 maio

O sonho de toda estudante de moda?

Um maneco para chamar de seu. SÓ SEU!

.

Mas esses manecos aí de baixo não são qualquer maneco.

Esses ninguém teria coragem de alfinetar, encher de soutache ou modelar um vestido com decote princesa pra aula da Icléia.

Esses aí são pra ficar babando, levar pra jantar, chorar no ombro…

.

.

Atenção, se você está perto de algum estudante de moda nesse momento, fala pra ele largar esse pano americano fedido, essa tricoline sem caimento e pede pra fazer algo incrível pela humanidade: arranjar uma caneta preta de tecido e desenhar algo assim no maneco mais próximo dele.

O mundo agradece!

(daqui)

.

Julie

Do Real ao Surreal

12 maio

Querida Camila do Rosário,

No dia que eu te ver por essas ruas de FlowerNowPlease, pela pista do Blues ou pelos corredores do Ceart, juro que vou tentar me controlar pra não te sequestrar.

.

Sua linda, vem desenhar assim aqui em casa!

.

Julie

O museu do coração partido

3 maio

.

O site do museu cita Fragmentos de um Discurso Amoroso, de Roland Barthes logo na entrada: “Every passion, ultimately, has its spectator… (there is) no amorous oblation without a final theater“.

A ideia do Museum of Broken Relationships, na Croácia, é pra lá de original (e poética): um espaço inteiramente dedicado aos relacionamentos passados.

.

A idéia foi da artista Olinka Vistika que, após o fim de uma história de amor, reuniu todos os objetos que representavam seu relacionamento e seu término. Convidou alguns amigos a fazer o mesmo e assim criou o espaço.

Lá é possível encontrar cartas românticas, fotografias, anéis de compromisso, vestido de casamento, entre outros pertences. Os objetos ficam no anonimato, mas cada um tem o seu relato.

.

.

Um veterano de guerra doou, por exemplo, a prótese de sua perna. Para ele, a prótese simbolizava sua história de amor com a enfermeira que cuidou dele. “A prótese durou mais do que o nosso amor. Aparentemente, era feita de um material melhor.”

Um celular velho traz o relato de um doador anônimo que diz: “Durou 300 dias, além do que deveria. Ele me deu seu telefone celular para que eu não pudesse chamá-lo mais”.

.

São as vidas de centenas de pessoas expostas, com suas cicatrizes e mágoas. Bonito, isso.

.

Bia

Se esse vídeo tão te faz querer chegar logo na menopausa, eu não sei o que vai fazer

15 abr

.

Vivendo em uma sociedade que idolatra ícones de moda cada vez mais jovens, é um alívio sem fim encontrar um blog como o Advanced Style, que já fez nossos olhinhos brilharem por aqui muitas vezes.

.

.

Young women, you’re going to be old women one day. Don’t worry about it. Don’t sweat it. Don’t worry about getting older. Every era, it builds character.” 

.

Um dia a gente chega lá.

.

Bia

Sejamos Gays. Juntos. Mesmo se a gente não for.

12 abr

.

.

“I cannot prevent anyone from getting angry, or mad, or frustrated. I can only hope that they’ll turn that anger and frustration and madness into something positive, so that two, three, four, five hundred will step forward, so the gay doctors will come out, the gay lawyers, the gay judges, gay bankers, gay architects … I hope that every professional gay will say ‘enough’, come forward and tell everybody, wear a sign, let the world know. Maybe that will help.”

Harvey Milk, 1978

.

.

.

“Ser gay é uma questão de posicionamento e atitude diante desse mundo tão miseravelmente cheio de raiva.

Independente de idade, sexo, cor, religião e, sobretudo, independente de orientação sexual, é hora de passar a seguinte mensagem pra fora da janela:   #EUSOUGAY”

Sejamos gays — Projeto Eu Sou Gay

.

Bia

Relações Perdidas

30 mar

.

Se você nunca teve a oportunidade de fuçar a seção “Missed Connections” no Craigslist (tipo de classificados muito popular nos EUA) está deixando de ver um pouquinho de poesia ser construída todos os dias.

Nessa seção, pessoas enviam pequenas cartas de amor dedicadas a estranhos – pessoas que elas viram por acaso no metrô, numa biblioteca ou numa rápida conversa na fila do McDonald’s – na esperança de que elas leiam e possam entrar em contato.

A simples idéia dessa seção já me parece brilhante; e ficou ainda melhor depois que conheci o trabalho da ilustradora Sophie Blackall.

Ela seleciona seus trechos favoritos do Missed Connections a cada semana e os traduz em delicadas imagens em aquarela. Aqui estão algumas das minhas favoritas:

.

Cabelo castanho, comprido e encaracolado no metrô Q (28/02/10 – Brooklin)


Você usava um esmalte rosa e pegou o metrô Q na estação Atlantic (ou então Dekalb). Senti um desejo irracional de te chamar pra jantar. Te achei absolutamente linda, mas você provavelmente nunca vai saber disso. Acho que você trocou de linha na Times Square, e eu fiquei olhando enquanto você saiu pela porta e desapareceu. Se alguma vez você ler isso, seria legal ter notícias suas. De qualquer forma, espero que você esteja bem.

 

.

Bigode Surreal(06/04/2010 – Chelsea)

Você: alto, cabelo castanho, bigode incrivelmente volumoso, camisa xadrez azul e verde.

Eu: alta, loira, toda vestida de preto com galochas Burberry.

Eu subi no trem C na Rua 14 por volta das 10:50 na manhã de terça. Você desceu na rua 23. Ficou me encarando. Muito. Você é muito muito ridiculamente lindo.

.

Você tem medo de pássaros ou algo assim? (14/06/09 – Williamsbourg)


Bom, de qualquer maneira, eu achei bonitinho. Você mora na Rua N7 também? A gente podia sair juntos dias desses.

.

Garota Tatuada (29/09/2010 – Posto de Gasolina de Danbury)


Então você saiu da chuva pra preencher sua papelada e só podia me mostrar algumas das suas tatuagens… Eu vi a da tesoura e adoraria ver o resto. A quarta-feira seguinte veio e foi embora. Ainda estou te esperando.

.

Corujas (03/05/2010 – Astoria)


Nós dois compramos estátuas de coruja hoje. Você é a dama de vestido vermelho. Eu sou o cavalheiro de bigode. Acho que devíamos nos encontrar novamente pra discutir mais sobre decoração temática de vida selvagem.

 

.

A gola do seu casaco (08/01/2010)


Quando eu subi a gola do seu casaco pra te proteger do frio, na esquina da Houston com a Bowery, e olhei nos seus olhos… Me senti muito tentado em te beijar. Mas eu não roubo mulheres de outros homens.

Ainda assim… me senti tentado.

.

Ajuda com a bagagem (23/09/2009 – Hoboken)


Eu só queria dizer “muito obrigada” por se oferecer pra carregar minha pequena mala meio laranja/rosa. Significou muito pra mim, porque aquele estava sendo um dia muito difícil.

Assinado, Garota Mestiça da Blusa Verde.

.

Trem L (22/01/2010)


Ei, cara que subiu no trem na 1a Avenida todo vestido de preto com a tatuagem no pescoço. Obrigada por existir.

.

Te dei meu guarda-chuva, mas a informação errada (14/03/2010 – East Village)


Estava ventando e chovendo muito na noite passada, e você pedia direções no East Village. Você estava encharcada e com frio, então te dei meu guarda-chuva. Infelizmente, mais tarde eu descobri que te passei as informações erradas, e me senti péssimo por isso. Espero que você e seus amigos tenham chegado no destino sem muita confusão.

.

 

Pra dar uma espiada na seção Missed Connections do Craigslist, o link é esse aqui.

Mas se você tá interessado em comprar as ilustrações de Sophie (aham Cláudia, senta lá), pode comprar por aqui.

De qualquer forma – não é linda a idéia de que pode ter alguém te procurando desse jeito?

 

 

.

Bia

Poesia-Surpresa

7 fev

.

Ano passado, as ruas de várias capitais da Europa foram anonimamente adornadas com frases como:

CIVILISATIONS COME AND GO LIKE AUTUMN RAIN

e

.

.

Isso é  trabalho de um artista que quer mesmo é injetar poesia abstrata (e muitas vezes, melancólica) no dia a dia das pessoas: Robert Montgomery. O que ele faz é tão, tão bonito…

.

.

.

.

“What interests me in working anonymously is that people encounter it without knowing its art.

They know its not advertising, and its not graffiti either and they do not need an art history knowledge to read it.”

.

“I’m super-interested in the ordinary person at the bus stop getting on the bus to their job everyday and suddenly seeing this weird text. I’m interested in reaching those people. They are my primary audience.”

.

.

“I’ve lost a couple of really close friends who have died very young. My two closest friends from art college already died for example and I think when that happens it makes you turn to those questions. I find ideas of angels and ghosts very comforting in that context. I find the idea that somehow love can triumph over death an idea I need to keep sane.”

.

Poesia quando você menos espera.

.

Bia

%d blogueiros gostam disto: